Select Page

Futebol moderno X torcedor

Futebol moderno X torcedor

O tão citado “futebol moderno” está aí, com suas arenas imponentes, estádios completamente modificados e até clubes deixando de lado a tradição e trocando seus símbolos (como Juventus, Atlético de Madrid, entre outros), mas na maioria das vezes, os clubes não se importam com a opinião de sua torcida ou de seus simpatizantes, um exemplo disso é a resposta negativa da própria torcida da Juventus.

Símbolo da Juventus antes e depois

O símbolo da Juventus antes e depois da grande modificação.

 

Quando falamos em “não se importar com a opinião dos torcedores”, podemos falar de vários fatores: A modificação ou a construção de um novo estádio não é apenas isso, é uma história, um templo deixado para trás. Torcedores do futebol antigo defendem a arquibancada, o lugar mais popular que fez o futebol ser o que é hoje, porém, para a opinião de alguns, a elitização é algo benéfico, não deixa de ser, pois muitas famílias que não podiam ir aos jogos, pela segurança da época, agora poderão ir. O outro lado da moeda é a quantia exagerada nos preços dos ingressos, principalmente no Brasil. O que era um preço acessível para a maioria (ingressos no mínimo a 5 reais), hoje ultrapassada a realidade do país, que hoje vive em crise, resultando uma queda brusca nos públicos que vão ao estádio. Um exemplo disso, foi a final da Copa do Brasil de 2014 em um clássico estadual entre Cruzeiro e Atlético Mineiro, que teve um público de 39 786 mil pessoas, um público baixo levando em conta a capacidade do Mineirão e a importância de uma final de campeonato.

Mais  A renovação do Futebol Brasileiro está acontecendo

O principal mal que o futebol moderno traz é a elitização do esporte, o que afasta o torcedor de baixa renda, substituindo-o por um consumidor que chega cedo ao estádio, compra camisas, consome alimentos e ficam sentados o jogo inteiro, fazendo com que o jogo de futebol se torne um teatro. O torcedor que vai para apoiar e cantar acaba ficando de fora pois não tem tanta condição financeira. Esse tipo de gestão visa apenas o lucro e ignora os aspectos mais importantes do futebol, como a cultura, história, etc.
Uma das resistências mais fortes contra o futebol moderno está justamente na Inglaterra, onde podemos dizer que foi onde o novo estilo de futebol surgiu depois da tragédia de Hillsborough em abril de 1989, onde 96 torcedores do Liverpool morreram por conta de uma superlotação no jogo contra o Nottingham Forest. Depois da tragédia, o governo britânico tomou medidas junto à Federação Inglesa de Futebol (FA), resultando em punições aos Holligans. Os estádios se modernizaram, regras foram tomadas, assim, subindo o preço drasticamente.

Mais  O Tinder e as feministas de 1917
Protesto da torcida do liverpool

“Deixe-me contar uma história de um menino pobre…” diz os torcedores do Liverpool.

 

Para um bom exemplo de gestão  no futebol moderno, podemos pegar a Alemanha, onde os estádios são modernos e detém um preço de ingressos que prioriza tanto o torcedor de alta renda quanto o de renda mais baixa. Lá, o torcedor que quer ir cantar e pular, tem seu espaço assim como os que querem conforto, também tem seu espaço, assim, se tornando um cenário ideal. No Signal Iduna Park, estádio do Borussia Dortmund, existe 25 mil lugares populares, as arquibancadas, com ingressos à 16 euros, mais ou menos R$ 52.

show da torcida do borussia

Mosaico da apaixonada torcida do Borussia Dortmund, em jogo pela Champion League.

 

Mais  50 Milhões de Selfies: Fundamentos Psicossociais

Será que ainda existe alguma esperança do Brasil aprender com a Alemanha na questão de gerir um novo futebol? Ou será que esse vai ser mais um 7×1?

Sobre o Autor

Luan Orth

20 anos, gaúcho, apaixonado por futebol e pelo Grêmio.